Plano de Extensão | UNINOVAFAPI
VOCÊ ESTÁ EM Página inicial / extensao / Plano de Extensão

Plano de Extensão


1. INTRODUÇÃO

Entendemos que as Universidades e os Centros Universitários tem um dever de ensino, mas também necessitam se integrar às comunidades nos diversos aspectos para, interagindo com a população e os serviços já existentes trazer a discussão dos fatos para o seio da instituição, gerando propostas alternativas que venham contribuir para a melhor atenção aos problemas das populações especialmente as mais carentes com as quais pretendemos trabalhar.

Esta inserção irá proporcionar ao Centro Universitário uma reflexão sobre o ensino e a pesquisa que se propõe a desenvolver, já que, além de técnico o produto aqui formado deve ser um cidadão conhecedor das necessidades da população carente, das razões que geram conflitos sociais, das migrações e de todos os indicadores sociais, enfim a instituição tem um forte dever com a sociedade.

A Extensão é também o meio que o Centro Universitário disponibiliza para a complementação da formação acadêmica, a difusão do saber e da cultura além de tornar os docentes mais comprometidos com a problemática social, contribuindo com o setor de serviços através da pesquisa e a participação nas atividades de labor contribuindo para uma melhor atenção daquele setor e, conseqüentemente gerando um ensino de qualidade e uma pesquisa que possa contribuir para a melhoria da qualidade dos serviços, da comunidade e, ensinando ao aluno que a pesquisa a ser realizada pelo Centro Universitário deverá ser simples, objetiva, trazer esclarecimentos e apontar soluções para os problemas da sociedade, envolvendo a população na condição de sujeito e não de meros números estatísticos.

A Extensão no UNINOVAFAPI é o canal competente para discussão das políticas públicas que tenham a cidadania, o cidadão e o meio ambiente como princípios fundamentais.

2. O QUE É EXTENSÃO

Do ponto de vista conceitual a extensão é o pilar do processo educativo, cultural e científico que integra o ensino e a pesquisa, viabilizando uma interação da I.E.S. com a sociedade, os prestadores de serviço e o meio ambiente contribuindo para a geração de práticas acadêmicas que vai além do conhecimento técnico, através da oportunidade da convivência com os diversos segmentos da sociedade que favorecem uma troca de conhecimentos vivenciados na prática e permitindo a instrumentalização do processo dialético da teoria e a prática que favorecem a visão integral da sociedade.

Fica claro que a extensão só se concretizará, como atividade acadêmica, quando for implementada a sua inserção nas coordenações de curso, no caso do Centro Universitário, através da discussão das linhas de ações, elaboração e aprovação de propostas, definição de carga horária de trabalho docente, adequação curricular e linhas de pesquisas a serem trabalhadas, compondo um plano de metas das atividades acadêmicas de forma linear.

3. COMO DEVE FUNCIONAR A EXTENSÃO NO UNINOVAFAPI

Foi criado em janeiro de 2005 a Coordenação de Extensão e Serviços na instituição demonstrando o interesse institucional de que o assunto seja discutido e possa fazer parte da prática acadêmica.

A prática extensionista deve ser uma ação obrigatória do plano de metas de cada Coordenação de Curso. Sendo proposto, discutido, aprovado, executado e avaliado em reuniões de cada colegiado que disponibilizará carga horária acadêmica para as atividades dentro dos objetivos de ações da nossa instituição obedecendo ao conceito de extensão e os compromissos acadêmico e social estabelecidos.

Este planejamento setorial deve obedecer, quando possível, uma linha de integração entre os demais cursos do Centro Universitário, os setores de serviços e as comunidades envolvidas na proposta. A proposição final, após aprovação do colegiado de curso será encaminhado à Coordenação de Extensão e Serviços para compatibilização de custos junto à direção da instituição, regularização de convênio, termo de compromisso e outras providencias quando for o caso e, finalmente cadastrando a atividade como forma de institucionalizar a atividade. Em seguida o processo será devolvido à Coordenação do Curso para execução da proposta.

Após a execução e avaliação da proposta a Coordenação do Curso informará à Coordenação de Extensão e Serviços através de relatório para conhecimento, emissão de certificados e declarações que se fizerem necessários.

Entendemos que a divulgação das atividades extensionistas, as inscrições, contatos e contratos com os executores e com a comunidade é da competência da Coordenação do Curso, podendo esta solicitar a colaboração e a participação da Coordenação de Extensão e Serviços.

As atividades de extensão devem ser de caráter obrigatório para todos os docentes com carga horária contratada à partir de 30 horas semanais, sendo também facultado aos demais, dentro do planejamento das atividades para o período estabelecido pela Coordenação do Curso, após discussão com o colegiado respectivo.

A Coordenação de Extensão e Serviços do UNINOVAFAPI – CESN, se obriga a fazer a comunicação de cada proposta extensionista às demais coordenações de curso dentro da pauta das reuniões de colegiado de cursos, como forma de integrar e despertar o interesse de participações de outras coordenações.

4. O QUE É UMA AÇÃO DE EXTENSÃO

A ação de extensão é a vertente da I.E.S. que objetiva interligar as atividades de ensino e pesquisa com as demandas de todos os seguimentos da sociedade, através das seguintes estratégias de ações:

  • Palestras e seminários;
  • Curso de extensão;
  • Projetos de extensão;
  • Prestação de serviço;
  • Eventos.

Os exercícios destas atividades pela Coordenação do Curso, constitui o Programa de Extensão do UNINOVAFAPI.

A apresentação destas propostas de ações deverá ser feito através de formulários próprios disponíveis no site da instituição, nos modelos 1 e 2.

  • O Modelo n° 1 mais detalhado, será usado para as propostas de Cursos de extensão, Projetos de extensão e prestações de serviços quando se impuser;
  • O Modelo n° 2, mais simplificado, deverá ser utilizado para as propostas de Palestras, Seminários e Eventos;
  • A divisão em dois modelos visa facilitar ao coordenador da ação extensionista a comunicação com a Coordenação do Curso e a regulamentação junto à instituição;

O Ministério da Educação recomenda os seguintes entendimentos sobre as ações de extensão na IES:

  • Curso de extensão – São todas as atividades de ensino acadêmico, técnico, cultural e artístico não regulamentado no ensino de primeiro e segundo graus, de graduação e pós-graduação stricto-sensu e lato-sensu*;
  • Projeto de extensão – Se relaciona às atividades de caráter permanente ou transitório em que a Faculdade se propõe a desenvolver atividades em parceria com a comunidade, com o setor de serviços ou com outras IES ou ONGs devendo seguir os objetivos, metas, avaliações e cronogramas;
  • Prestação de serviço – São atividades de caráter permanente ou eventual compreendendo a execução de, ou participação em, tarefas técnico profissionais junto à comunidade, para a população ou com o setor de serviços e outras instituições.
  • Eventos – São ações pontuais que envolvem organização, promoção e atenção da Faculdade isoladamente ou em parceria objetivando a difusão de conhecimentos, prestações de serviços, atividades artístico-culturais, comemorações de datas e promoção da marca institucional.

5. NORMAS PARA CADASTRAMENTO DE ATIVIDADES DE EXTENSÃO NO UNINOVAFAPI

A extensão no UNINOVAFAPI vai além da definição clássica de disseminação de conhecimentos, prestações de serviços ou implementação cultural, mas prioriza a integração e interação entre os diversos cursos da instituição entre si e, a comunidade externa onde esta relação permitirá a IES refletir sobre o caráter social da sua competência aprimorando e adequando a produção do conhecimento a realidade do meio em que está inserida, no sentido de participar, efetivamente, do processo de desenvolvimento integral da região.

As atividades de extensão podem ser de iniciativas de professores, alunos, coordenadores, gestores ou mesmo de proposições da própria comunidade externa através de uma proposta de curso / palestra / seminário, evento ou um projeto de ação comunitária, seguindo as seguintes etapas:

  1. Elaborar por escrito a proposta, de acordo com formulário modelo à disposição no site do UNINOVAFAPI;
  2. Dar entrada na(s) coordenação(ões) do(s) curso(s) para apreciação e aprovação, através do protocolo da IES;
  3. Em seguida a Coordenação do Curso encaminha para a Coordenação de Extensão e Serviços para efeito de cadastramento, apreciação de custos ouvindo a direção do Centro Universitário, comunicação a instituições ou atividades parceiras e ajustes às normas de extensão da instituição;
  4. Após esta etapa a proposta será devolvida à Coordenação do Curso para execução das metas, acompanhamento e avaliação final;
  5. Finalizando a etapa anterior, a Coordenação do Curso fará relatório à Coordenação de Extensão enfatizando a avaliação da proposta bem como a lista dos participantes, ministrantes e Coordenador(es) para efeito de elaboração dos certificados.

* Baseado nas normas da Universidade Federal de Pernambuco – UFPE.

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar