às 12:13:00

Conheça os impactos da Neuroarquitetura

Você já ouviu falar em Neuroarquitetura? A técnica tem o objetivo de trabalhar a relação da arquitetura e impacto no cérebro. Ou seja, é a união da neurociência e arquitetura a fim de projetar ambientes que estimulem não só a produtividade mas promovam o bem-estar físico e mental.

 

Para explicar quais são os pontos positivos e negativos da aplicação da Neuroarquitetura convidamos os professores do curso de arquitetura do Centro Universitário Uninovafapi Igo Yossi Lima Fonseca e Patrícia dos Santos Mendes.  

 

Os professores afirmam que a utilização da Neuroarquitetura praticamente não possui um lado negativo. O aspecto negativo está relacionado ao uso de técnicas e procedimentos, mas empregados de forma irregular ou divergente do que apontam os estudos.  No entanto, os prós são estão relacionados às transformações espaciais às suas respectivas funcionalidades. “Espaços corporativos apresentam diversas funcionalidades relacionadas ao trabalho das pessoas. Em um espaço de reuniões, por exemplo, a ambiência, que é aparência do espaço, bem como os cheiros os sons, podem ser desenvolvidos a fim de também proporcionar sensações propícias a criatividade, ou a solução de problemas, por exemplo”, pontua Igo. 

 

Para entendermos melhor, os arquitetos explicam que a técnica afeta os cinco sentidos e quais são os principais impactos no cérebro humano. 

 

Visão  

Um design qualificado, deve contribuir com a visão e isso é possível com a utilização de elementos no espaço como as cores e a iluminação. 

O projeto deve ser pensado em cada detalhe, como a definição da luz correta para aquele ambiente, que faz com que haja um melhor aproveitamento do espaço, proporcionando uma sensação de acolhimento e aumento da produtividade. A iluminação correta é capaz de oferecer bem-estar e conforto para todos que frequentam aquele ambiente. 

 

Tato 

O toque é primordial na promoção de conforto, por isso é suma importância que o arquiteto se preocupe com materiais de qualidade dessa forma o local proporciona uma sensação de relaxamento e tranquilidade, principalmente, após um dia de grande estresse. Um bom exemplo é o uso de pisos que se adaptam ao clima do ambiente já que algumas opções podem causar uma sensação desagradável dependendo da temperatura.  

 

Audição  

Os sons na maioria das vezes têm a propriedade de relaxar. Além disso, provoca boas lembranças em certas pessoas, de acordo com que estavam ouvindo no momento. Por isso, uma decoração com sons tranquilizantes são uma ótima opção. A sonoridade do local pode se dar também com a aplicação de uma acústica de qualidade. Uma boa música pode trazer boas sensações também. 

 

Olfato 

O cheiro de um ambiente pode ser uma das características mais marcantes do local, afinal não tem nada mais especial e marcante do que estar em lugar que o aroma está agradável. Portanto, trabalhar os aromas de um local é essencial para provocar sensações boas e dessa forma provocar harmonia aos demais espaços no ambiente. Velas aromatizantes, plantinhas e flores que possuam um cheiro bom, são uma boa opção. 

 

Paladar 

Alguns ambientes trabalham com o paladar, como por exemplo, a cozinha. Nela, existe a possibilidade de estimular o apetite fazendo o uso de cores quentes como o vermelho e o laranja, por exemplo. Além disso, expor alimentos como frutas e legumes fazem o paladar ficar cada vez mais presente. Um local capaz de unir os sentidos traz muito mais harmonia ao ambiente e isso está diretamente ligado com o processo da neuroarquitetura

 

É importante destacar que essas características se aplicam não só a ambientes comerciais, como empresas e residências. Nas residências, recomendam-se boas estratégias de ambientação. Uso das cores, da iluminação (tanto natural quanto artificial) os cheiros presentes, as texturas dos móveis, como mesas e cadeiras ou daquilo que estiver em contato com o corpo podem ser bem desenvolvidos por meio de um projeto de ambientação adequado. E nas empresas os pontos que devem ser levados em consideração na projeção dos ambientes estão: luminosidade, ventilação, acústica, cores, design, temperatura e texturas.  A combinação e aplicação desses pontos proporcionam um ambiente aconchegante e produtivo. 

 


Fonte: