às 12:30:00

Conheça o projeto Valorização da Vida e Prevenção do Suicídio

O cuidado com a saúde mental é um fator que se torna cada vez mais comum e essencial. Assim como o nosso corpo físico adoece, nossa mente também pode adoecer. A partir da temática do Setembro Amarelo e de vivências acadêmicas, surgiu o projeto de extensão Valorização da Vida e Prevenção do Suicídio. 

O projeto tem o objetivo de promover uma cultura de paz e de valorização da vida na comunidade acadêmica e colaboradores do Uninovafapi. Além disso, o projeto objetiva incentivar a adoção de estilo de vida saudável e de promoção da saúde mental por meio de práticas de valorização da vida, de promoção da integração social e discussão sobre temas relacionados à qualidade de vida e prevenção do sofrimento psíquico.

Coordenado pelas professoras Cláudia Maria Sousa de Carvalho e Juliana Macêdo Magalhães, o projeto foi criado em 2018 como parte das atividades alusivas à campanha nacional do Setembro Amarelo, e, desde então, vem sendo desenvolvido anualmente. “As atividades evidenciaram a necessidade de promover ações de proteção à saúde e estímulo à qualidade de vida da comunidade acadêmica e público em geral, como forma de intervir nas situações e fatores de risco para o sofrimento psíquico e o suicídio, situações esta que vem preocupando gestores, profissionais da saúde, educadores e a sociedade em geral”, explica Cláudia.

As atividades acontecem em parceria com as coordenações dos cursos de Enfermagem e Medicina. Dessa forma, o projeto funciona auxiliando a comunidade e agregando ao ensino acadêmico. “Acredita-se que a iniciativa vem proporcionando, à comunidade acadêmica e demais colaboradores, a oportunidade de participar de um projeto que contribui para o conhecimento e desenvolvimento de um estilo de vida saudável, minimizando fatores de risco para o sofrimento psíquico. Além de fomentar uma cultura de valorização da vida e de  conscientização do público-alvo sobre a importância de desenvolver e/ou buscar ferramentas que promovam a saúde mental e reduzindo fatores de risco relacionados aos suicídio”, pontua a coordenadora.

A professora Cláudia conta que alunos participam de ações de educação em saúde, verificação de pressão arterial, avaliação antropométricas, atividade física e de apoio às práticas integrativas e complementares oferecidas pelo projeto. “A ideia é estimular processos de trabalho pautado na lógica do trabalho em equipe, respeitando as habilidades e competências de cada monitor. Ressalta-se ainda que o projeto incitou nos participantes sentimentos de valorização de si e do próximo, fortalecendo o reconhecimento dos recursos pessoais para o enfrentamento das situações de crise”.

A programação de 2021 teve início hoje e segue até amanhã com palestras, avaliação nutricional e bioimpedância, avaliação antropométrica e orientações quanto à prática de atividade física, aferição de pressão arterial, ações de educação em saúde sobre prevenção das infecções sexualmente transmissíveis, auriculoterapia e Yoga. As inscrições são gratuitas através do link abaixo:


Fonte: