às 10:29:00

Equipe Religare vence a gincana de Arquitetura e Urbanismo

A coordenação de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário Uninovafapi promoveu mais uma edição da gincana do curso. Os alunos se dividiram em duas equipes, Thermos e Religare. A temática girou em torno de temática de encontro e carnaval. As provas e atividades tiveram caráter recreativas, esportivas, culturais e sociais. A gincana buscou aprofundar o entendimento que quem produz os espaços de encontro são os arquitetos e urbanistas e que cabe a esse profissional liderar a função de renovar a esperança de melhores horizontes de condições sociais e culturais.

Para a coordenadora Isis Meireles Rodrigues Sampaio, as provas de maior destaque foram as provas que possuíam o propósito de ir além dos muros da instituição e transformar a realidade. A prova de arrecadação de alimentos, por exemplo, objetivava arrecadar o máximo possível de pacotes de arroz e feijão. No total, foram arrecadadas 5,5 toneladas, sendo 1,8 pela equipe Religare, e 1,7 pela equipe Thermos. Os alimentos foram distribuídos para Casa de Maria, uma rede feminina de combate ao câncer, e Casa da criança Maria João de Deus.

“Nosso objetivo era proporcionar experiências de aprendizagem extraordinárias e consideramos que o objetivo foi alcançado com sucesso, pois ao transpor conteúdos para um contexto real de aprendizagem na execução das provas, desenvolvemos o que chamamos de aprendizado significativo, aquele que é relevante e contribui para formação ética e moral dos nossos alunos. Além disso, o trabalho em equipe desenvolve soft skills essenciais para o profissional do século XXI como trabalho em equipe, solução de desafios complexos em contextos reais, gestão de estratégias, criatividade, pensamento crítico, liderança, aprendizado ativo, entre outras. A entrega dos nossos alunos foi total e com certeza isso se refletirá em profissionais preparados e diferenciados no mercado de trabalho e na sociedade”, avaliou a coordenadora do curso.

Débora Moura, aluna do 7º período, conta que a participação na gincana mudou sua forma de enxergar a profissão e agregou de várias formas para sua formação ser mais completa. Ela conta que a experiência serviu para conhecer novas pessoas e ter novas ideias para outros projetos acadêmicos que ela desenvolve. “A gincana conseguiu reviver a chama da arquitetura e urbanismo em mim. Veio para me mostrar que eu preciso valorizar a cultura e o contato humano. Eu preciso o ouvir o que as pessoas dizem, eu preciso vivenciar o que as pessoas vivem, aprender a criar laços e conexões para entender um pouco que se passa em cada pessoa”.

 


Fonte: